quarta-feira, 10 de novembro de 2010

NOTAS E DIPLOMAS VALEM MAIS QUE CONVICÇÕES?

Há dias essa frase não sai da minha cabeça. Primeiro porque já havia escutado de algum@s amig@s que o terceiro semestre da faculdade é uma verdadeira prova de fogo onde você se entrega de vez ao curso que faz ou desiste logo e parte para outro. No entanto parece que essa prova de fogo veio com um semestre de antecedência, pelo menos para mim. Aulas monótonas, baseada em discursos lindos e práticas que se distanciam totalmente destes, além de uma turma que evidentemente está preocupada em se manter na faculdade alheia ao que ela representa de fato. Que para mim é aprendizagem como resultado das atuações.
Segundo porque bateu depressão e incerteza diante desses fatos. Surge então uma questão: SERÁ QUE ESCOLHI O CURSO CERTO?, pensei então em mudar para um curso que encontrasse uma galera mais politicamente ativa, mas daí veio a outra questão: VOCÊ VAI FAZER O CURSO PELA GALERA QUE ESTÁ AO LADO OU PELAS SUAS CONVICÇÕES?. Pronto refletindo cheguei a conclusão que prefiro as minhas convicções que são muito mais válidas que uma turma desunida e um SCORE elevado. 
Até por que o que fará de mim uma professora, diretora, coordenadora pedagógica, ou seja lá o que for de qualidade, tem a ver com as minhas atitudes e a forma como serão guiadas, que com certeza será proveniente de uma teoria a qual eu acredito e pratico, e não de discursos bonitos, e vazios na essência, para impressionar pais, alunos, professores e colegas.
Por conta dessas reflexões já estava avaliando o meu primeiro ano na UFBA como caótico. Achando a faculdade (desculpem o termo) uma merda, mas graças a JAH pude participar de um evento dentro da universidade (não foi na FACED, mas tudo bem!) no PAF 3 nos dias 13 e 14 de outubro de 2010 entitulado: "Rasuras: corpo, leitura e escrita" onde pude ouvir falas que trouxessem para meu esclarecimento e (in) formação novos conceitos, possibilidades e caminhos para mim introduzir de verdade nessa ACADEMIA que apesar de já fazer parte ainda não havia conseguido me encontrar e outro evento tão importante quanto, mas que infelzmente não pude participar por questões de saúde, foi o Triplo evento: IV Colóquio Internacional Saberes, Práticas, I Conferência Internacional de Africanidade e I Simpósio Internacional de Multirreferencialidade e Etnicidade que trouxe discurssões altamente pertinentes para a FACED no període de 25 a 29 de outubro. Por isso confesso feliz, que ter participado do 1° evento citado e saber que ocorreu dentro do espaço que acreditava estar alheio a  questões tão atuais e necessárias para o processo de formação dos educadores, valeu meu 1º ano na universidade, que como diz um amigo, é meu período de Caloura).

E para finalizar soube de uma demissão ao vivo, que serviu para me alertar que convicções sim valem mais que notas boas ou diplomas. Dá uma olhada e se inspira! 

video